O “novo normal” pós-pandemia de coronavírus vai exigir um cuidado maior por parte de profissionais de todas as áreas. Muitos vão começar a aderir ao uso de luvas de proteção e outros vão redobrar a atenção na utilização deste Equipamento de Proteção Individual (EPI).

Confira alguns fatos e alguns mitos sobre a utilização de luvas de proteção:

Luvas descartáveis proporcionam maior custo-benefício: FATO

As luvas reutilizáveis, aquelas de borracha que você encontra nos supermercados, podem parecer mais econômicas, mas não se engane: o desperdício de água e material para higienizá-las após sua utilização acaba pesando na conta. Além disso, é necessário despender de mais tempo para fazer essa higienização, que poderia ser usado para continuar o fluxo de trabalho.

Quando você utiliza luvas descartáveis não precisa investir tempo nem recursos hídricos, basta utilizar e descartar da maneira correta. Ou seja, muito mais praticidade para seu dia a dia.

O uso de luvas substitui a higienização das mãos: FAKE

Mesmo com as mãos protegidas pelas luvas, é necessário sempre higienizá-las antes e depois de utilizar o EPI. Uma boa lavagem com água e sabão ou álcool gel 70% é essencial mesmo com o uso de luvas.

Luvas reutilizáveis de borracha podem proliferar bactérias: FATO

O uso constante de uma luva reutilizável pode acabar causando a proliferação de bactérias, fungos e vírus. Se o usuário entrar em contato com um desses agentes externos e a higienização interna e externa não for feita corretamente, a tendência é que os microorganismos patológicos se instalem na luva e se reproduzam.

Com as luvas descartáveis você evita este problema, elas são de uso único.

O pó usado nas luvas da Supermax causa alergia: FAKE

O pó presente nas luvas da Supermax é o amido de milho. Ao não ser que você tenha alergia especificamente ao amido de milho, ele não lhe causará nenhum tipo de irritação. O que realmente causa alergia é o látex e outros compostos químicos presentes nas luvas. O pó atua como um condutor, fazendo com que as mãos tenham ainda mais contato com o látex.

Para resolver este problema a Supermax tem em seu portfolio luvas Powder Free com baixíssimo teor de látex e também nitrílicas (fabricadas em borracha natural, portanto sem látex).

Luvas de látex possuem mais elasticidade que as de nitrilo: FATO

As luvas feitas de látex possuem mais elasticidade do que as de borracha nitrílica, mas não quer dizer que possuem mais ou menos qualidade e resistência. Esse é um fato ligado apenas à composição do material.

Agora que você já sabe alguns fatos e mitos sobre as luvas de proteção, conheça todos os produtos da Supermax Brasil e entre em contato agora mesmo com uma de nossas vendedoras para fazer seu orçamento.

O CIOSP – Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo é, sem dúvidas, o mais respeitado evento do meio odontológico e, todos os anos, traz aos profissionais o que há de novo para clínica e em pesquisas científicas.  Neste ano, o 38º CIOSP foi maior do que a edição anterior, com a inclusão do pavilhão azul que, além de alguns serviços aos congressistas, também trouxe stands.

A Supermax Brasil participa do congresso desde 1997 e, neste ano, com um stand de 130 m² recebeu com carinho clientes e parceiros comerciais nos 4 dias de evento. O público foi presenteado com caricaturas que, para alguns visitantes, já se tornaram itens colecionáveis! 

Além das luvas de procedimento nitrílicas pink, blue e black, que já são queridinhas entre os dentistas, o público também pode provar a luva de proteção IGNITE ORANGE NITRILO, que oferece proteção contra agentes químicos e mecânicos. E o que não sabíamos é que ela também seria cobiçada por estes profissionais!

Três vezes mais resistente que as outras luvas de nitrilo, mais espessa, com textura max grip e ainda assim, descartável, foi chamada de coringa para a limpeza de bancadas e de todo o consultório.

Se você também quer conhecer essa solução descartável para o trabalho pesado, clique aqui e faça sua solicitação.

E você? O que achou do 38º CIOSP?

O uso de luvas descartáveis de alta resistência na limpeza hospitalar

Clínicas e hospitais são ambientes que apresentam grande risco de contaminação, e a limpeza hospitalar é uma importante ferramenta para controle de proliferação de doenças. A limpeza e a higienização são fundamentais para proporcionar um entorno saudável e livre de agentes causadores de doenças. Cada tipo de ambiente requer técnicas de limpeza específicas, produtos adequados e mão de obra treinada. No setor hospitalar, esse cuidado deve ser redobrado.

Tão importante quanto a limpeza, é a escolha adequada dos EPIs que devem ser utilizados durante a limpeza hospitalar. Luvas de borracha, sejam de látex ou nitrilo com forração, têm espessura grossa para aumentar a proteção e resistência contra os produtos químicos utilizados na higiene hospitalar. Apesar de muito seguras, elas precisam ser higienizadas ao final de cada limpeza, além de ser necessário um local para secagem adequada e frequentemente podem apresentar odor devido a retenção de umidade associada ao suor do usuário.

Pensando nisso, foram lançadas no mercado luvas de espessura intermediária,  descartáveis, fabricadas em nitrilo, com espessura até 3 vezes maior que as luvas de procedimento, proporcionando maior resistência. Essas luvas, além de apresentarem a vantagem de serem descartadas após o uso, eliminando a possibilidade de carregar agentes potencialmente infecciosos de uma área para outra, reduzem o custo com lavagem e secagem das luvas. 

Assim como é muito importante a troca dos panos e soluções dos baldes ao finalizar cada ação de limpeza de uma área ou mobiliário (ambos podem levar à infecção cruzada), também é muito importante trocar ou descartar as luvas utilizadas no processo de higienização, especialmente quando tratam-se de áreas críticas ou semicríticas, onde o controle de infecções deve ser ainda mais rigoroso.

Por este motivo, as luvas descartáveis ganharam força e se estabeleceram-se como uma importante ferramenta para Precauções de Contato, justificadas principalmente pelo controle da contaminação.

www.unesp.br/pgr/pdf/manual-limpeza.pdf

http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/manuais/biosseguranca/manual_biosseguranca-servicos_saude.pdf

https://www.limpeza.com/artigos/entenda-a-importancia-da-limpeza-hospitalar