Se você trabalha como manicure, deve saber que, além da beleza, a segurança e saúde também são essenciais. Não apenas para suas clientes, como também para si. Pensando nisso, listamos neste post 5 bons motivos para manicures usarem luvas e, depois, uma dica de qual o melhor tipo de luva para essa profissão! Confira:

1. Prevenção de doenças contagiosas

Você sabia que a micose pode ser transmitida por contato? Pois é! Caso atenda um(a) cliente sem a devida preparação e proteção, pode acabar ocorrendo contágio e até mesmo passando para outras pessoas.

E não é apenas a micose que pode ser transmitida, apesar de ser uma das doenças mais comuns nas unhas você também pode acabar se expondo à hepatite C, AIDS, entre outras. As luvas descartáveis são essenciais para proteção durante o trabalho de manicure.

2. Higiene

O uso de luvas de proteção descartáveis e a lavagem correta das mãos antes e depois de atender clientes faz toda a diferença.

Profissionais da área de manicure e pedicure utilizam ferramentas diversas para lidar com as unhas e, mesmo depois de terem feito a higiene correta de suas mãos, podem acabar entrando em contato com fluídos corporais. Isso pode acontecer durante a remoção de uma cutícula, por exemplo. O uso de uma luva que impeça o contato direto do fluído com a pele do profissional promove um aumento na higiene e proteção. O uso de uma luva que impeça o contato direto do fluído com a pele do profissional promove um aumento na higiene e proteção.

3. Profissionalismo

Ser atendido por um(a) profissional que utiliza todos os equipamentos necessários para manter seu serviço em alto nível de qualidade com certeza é um diferencial.

O uso das luvas de proteção descartáveis mostra cuidado, atenção e, acima de tudo, profissionalismo. Fidelize seus clientes mantendo o hábito de utilizar luvas descartáveis em seus atendimentos.

4. Bem-estar do cliente

Nem sempre a pessoa sendo atendida fica confortável com o toque direto das mãos de outra pessoa. Às vezes, o contato pode causar oleosidade, entre outras coisas. Quem sofre de hiperidrose palmar também se sente mais confortável quando é atendido por um profissional com luvas.

O uso de luvas de proteção pelo(a) profissional de manicure e pedicure pode levar o(a) cliente a sentir-se mais seguro e confortável.

5. Proteção individual

Como podemos observar ao longo desta postagem, a proteção não é uma via de mão única. Ao usar luvas para fazer manicure ou pedicure em alguém, você está se beneficiando e protegendo sua saúde, aumentando a higiene e até o conforto nas situações que envolvem o seu trabalho.

O tipo de luva mais adequado para manicures

Levando em conta diversos fatores de proteção, qualidade e conforto, o tipo de luva atualmente mais indicada para manicures são as luvas de látex ou de nitrilo. Elas oferecem mais resistência, agilidade, sensibilidade tátil e segurança na hora de realizar os procedimentos.

A Supermax conta com uma linha de luvas nitrílicas pink, azuis e pretas, conferindo também uma estética bonita para quem as utiliza. São ideais para quem possui alergias ao látex, assim como a luvas de procedimento Powder Free.

Mas se preferir a clássica de látex com pó, também pode contar conosco: nossa luva lisa é muito utilizada por profissionais de saúde de todo o mundo. Confira nosso portfólio.

A Supermax Brasil apoiará o projeto Formando Atletas e Cidadãos, do Clube Santa Mônica, através da Lei nº 11.438/06. Chamada também de Lei do Incentivo ao Esporte, a norma estabelece benefícios fiscais para pessoas físicas ou jurídicas que doarem até 1% sobre o valor total do Imposto de Renda para programas desportivos. O foco será a formação de atletas na natação. Em conjunto, a Supermax também patrocinará a nadadora curitibana Rafaela Trevisan Raurich, que está se preparando para competir nas Olímpiadas de 2021 em Tóquio.

O projeto Formando Atletas e Cidadãos é uma iniciativa de cunho social, cujo objetivo principal é formar e desenvolver jovens de baixa renda que tenham talento para serem atletas de alto rendimento na modalidade aquática.

O Santa Mônica Clube de Campo possui mais de 55 anos de atuação e é um dos locais mais importantes para a cena sociodesportiva e cultural do Paraná. Com infraestrutura física adequada e privilegiada para a prática de diversos tipos de esportes, hoje dá acesso a cerca de 602 crianças, adolescentes e adultos à prática esportiva através do projeto Formando Atletas e Cidadãos. Dentre os esportes oferecidos a natação é considerada um esporte completo, que além da melhora as capacidades físicas influencia positivamente nas relações sociais.

Sobre a esportista

Rafaela Raurich no Campeonato Brasileiro Infantil de Inverno, onde foi campeã em diversas categorias. Foto: Photo Swim

A nadadora Rafaela Trevisan Raurich treina no local. Com apenas 12 anos de idade, já havia conquistado seu primeiro troféu como melhor atleta da categoria no Campeonato Sul Brasileiro. Hoje, com 20 anos, possui um currículo esportivo recheado de conquistas pelo Brasil e também pelo exterior: a atleta já competiu (e ganhou) em Chipre, Israel, Peru, Estados Unidos, Chile e Buenos Aires. Rafaela recebeu também prêmios, incluindo o de Orgulho Paranaense como melhor atleta do Paraná pela Secretaria de Esportes e Turismo do Estado do Paraná.

Lei do Incentivo ao Esporte e saúde

A Supermax Brasil entende a importância do esporte em relação à promoção de bem estar e mais saúde para todos. Atua há 20 anos no Brasil, atendendo diversos segmentos, mas principalmente na área da saúde com as luvas de procedimento em látex e também nitrilo. Em resumo, o incentivo às práticas esportivas e fortalecimento da atuação dos atletas do nosso estado através da Lei do Incentivo ao Esporte é também um incentivo para a saúde.

Esta postagem foi feita em abril de 2020 e pode conter dados desatualizados.

O álcool gel é um potente aliado na luta contra o novo coronavírus, mas ainda causa algumas dúvidas referentes às suas formas de utilização e eficácia. Confira 4 coisas que você precisa saber sobre o uso de álcool gel contra o coronavírus:

  1. O álcool gel é eficaz?
    Sim! O álcool gel 70% mata o coronavírus porque destrói sua membrana. Essa membrana é formada por uma camada de gordura, por isso a lavagem das mãos com sabão se torna eficiente também. O álcool gel é o antisséptico mais eficiente no combate ao vírus, inclusive seu uso é recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério de Saúde do Brasil, por ser eficaz e não abrasivo. O tempo de fricção recomendado do álcool gel 70% para que ele faça efeito é entre 20 a 30 segundos.

  2. Posso substituir o uso do álcool gel nas mãos por desinfetantes?
    O álcool gel é um produto antisséptico e produtos antissépticos são aplicados em tecidos vivos, como a pele e mucosas. Portanto, são desenvolvidos para não causarem reações. Os desinfetantes têm uso voltado para superfícies e objetos inanimados, além de conter em suas formulações produtos específicos para tal fim, podendo desenvolver reações indesejáveis na pele.

  3. O álcool em gel 70% não deve ser substituído por outros tipos de álcool
    O álcool gel não deve ser substituído por etanol de combustível, álcool isopropílico ou bebidas alcoólicas, por exemplo. Muito menos por produtos alternativos como o vinagre ou suco de limão. Além de não possuírem eficácia germicida comprovada, esses produtos podem ser tóxicos e provocar reações adversas.

  4. A forma mais recomendada de substituí-lo é a lavagem das mãos com água e sabão
    Se você realmente não encontrar álcool gel 70% para comprar, a forma mais recomendada de se proteger é lavando as mãos com água e sabão com bastante frequência. O uso de água e sabão em superfícies e objetos também é recomendado. A higiene das mãos é considerada o procedimento mais barato e efetivo para evitar a disseminação de infecções.

    Você sabia que a Organização Mundial da Saúde definiu o dia 5 de maio como o Dia Mundial de Higiene das Mãos? Esse ato possui tanta relevância que ganhou uma data própria! Em 2019, o tema da campanha mundial “Salve vidas: higienize suas mãos”, proposta pela OMS e apoiada pela Anvisa, foi “Cuidado seguro para todos está nas suas mãos”.

    É importante tomar todas as medidas de precaução necessárias nesses tempos de pandemia. Contudo, não podemos esquecer da cautela e procurar por informações de confiança. Estamos todos juntos e, mais do que pensar em nós, quando nos protegemos estamos contribuindo com a saúde de toda a população.

    Agora que você já sabe como se proteger do novo coronavírus utilizando álcool gel, aproveite para conhecer um pouco mais da Supermax e nossas luvas de proteção. Clique aqui e veja nossos produtos.

    Fontes:
    https://foodsafetybrazil.org/afinal-por-que-o-alcool-70-e-mais-eficaz-como-bactericida-que-o- alcool-absoluto/
    http://cfq.org.br/noticia/nota-oficial-esclarecimentos-sobre-alcool-gel-caseiro-higienizacao-de- eletronicos-e-outros/
    https://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/publicacoes/category/higienizacao -das-maos

A luva de proteção Ignite Nitrilo Powder Free em pares é o lançamento que chegou para conquistar o varejo. Seja para uso na área de construção, limpeza, ferragens, ferramentas de marcenaria, autopeças ou EPI’s, a Ignite foi projetada para aumentar a capilaridade dos distribuidores e varejistas e também satisfazer os consumidores.

Por possuir menor necessidade de desembolso e formato prático, possui alta taxa de saída e rentabilidade. Seu lançamento foi estrategicamente testado em mercado nacional através dos nossos parceiros e obteve resultados promissores.

A luva de proteção Ignite é perfeita para a proteção das mãos contra agentes químicos e mecânicos. Por ser texturizada, descartável e ter espessura mais grossa que as luvas comuns de nitrilo e látex (0,20mm), ela apresenta maior aderência no manuseio, é mais resistente e também mais segura e higiênica do que luvas descartáveis.

Sua embalagem é vibrante e foi especialmente desenhada para o comércio, contando com eurolock para ser exposta no PDV com facilidade e todas as informações necessárias para informar e atrair seu cliente final.

E você, está esperando o que para colocar a luva de proteção Ignite em pares em sua distribuidora ou loja? Entre em contato agora mesmo com nosso setor comercial, faça sua cotação e aproveite todo o custo-benefício que a Supermax pode lhe oferecer.

Esta postagem foi feita em fevereiro de 2020 e pode conter dados desatualizados.

O coronavírus trata-se de uma família de vírus que ataca o sistema respiratório de seres humanos e animais, conhecido desde os anos 60.

Contudo, o novo coronavírus (nCoV-2019) foi descoberto no fim de 2019, infectando milhares de pessoas.

Qual a origem do vírus?

Os primeiros relatos aconteceram na cidade de Wuhan, China, em 31 de dezembro de 2019. Segundo informações divulgadas pela TV chinesa, são 24.363 mil casos confirmados e 491 mortes no país chinês (dados até 05 de fevereiro).

Em 24 países, são mais de 182 infectados e uma morte confirmada, nas Filipinas, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), dados divulgados no dia 03 de fevereiro, segunda-feira.

No Brasil, 13 casos são investigados e 16 foram descartados, mas nenhum confirmado até esta manhã de quarta-feira (05/02). Os casos investigados estão nos estados do Rio grande do Sul (4), Santa Catarina (2), São Paulo (6), Rio de Janeiro (1). Mesmo sem casos confirmados, o governo brasileiro declarou emergência e enviou ao Congresso projeto de lei para regras de quarentena para brasileiros que voltarem da China.

Como ocorre a contaminação?

A transmissão pode acontecer pelo ar, tosses ou espirros, objetos ou superfícies contaminadas. Transmissão através do contato pessoal, pode ocorrer com pessoas que estiveram diretamente com contaminados, como profissionais da área de saúde e familiares que cuidaram dos doentes.  

O vírus pode ficar incubado de 2 a 14 dias, período no qual aparecem os primeiros sintomas.

Sintomas

Os sintomas apresentados podem parecer com um resfriado, como febre, tosse, problemas respiratórios ou, em casos mais graves, como pneumonia, infecções nas vias aéreas e insuficiências respiratórias agudas. 

Prevenção

Cuidados básicos como:

  • Higienizar sempre as mãos;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Fazer o uso de lenços descartáveis;
  • Evitar contato próximo com pessoas que apresentem sintomas da doença.

Essas medidas também ajudam a evitar a propagação de outras patologias.

Fontes:

Países com casos confirmados segundo a OMS (03/02/2020): http://plataforma.saude.gov.br/novocoronavirus/

Ministério da Saúde https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus

http://plataforma.saude.gov.br/novocoronavirus/

Plataforma IVIS – Plataforma Integrada de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissao-respiratoria/coronavirus.html

O CIOSP – Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo é, sem dúvidas, o mais respeitado evento do meio odontológico e, todos os anos, traz aos profissionais o que há de novo para clínica e em pesquisas científicas.  Neste ano, o 38º CIOSP foi maior do que a edição anterior, com a inclusão do pavilhão azul que, além de alguns serviços aos congressistas, também trouxe stands.

A Supermax Brasil participa do congresso desde 1997 e, neste ano, com um stand de 130 m² recebeu com carinho clientes e parceiros comerciais nos 4 dias de evento. O público foi presenteado com caricaturas que, para alguns visitantes, já se tornaram itens colecionáveis! 

Além das luvas de procedimento nitrílicas pink, blue e black, que já são queridinhas entre os dentistas, o público também pode provar a luva de proteção IGNITE ORANGE NITRILO, que oferece proteção contra agentes químicos e mecânicos. E o que não sabíamos é que ela também seria cobiçada por estes profissionais!

Três vezes mais resistente que as outras luvas de nitrilo, mais espessa, com textura max grip e ainda assim, descartável, foi chamada de coringa para a limpeza de bancadas e de todo o consultório.

Se você também quer conhecer essa solução descartável para o trabalho pesado, clique aqui e faça sua solicitação.

E você? O que achou do 38º CIOSP?

O uso de luvas descartáveis de alta resistência na limpeza hospitalar

Clínicas e hospitais são ambientes que apresentam grande risco de contaminação, e a limpeza hospitalar é uma importante ferramenta para controle de proliferação de doenças. A limpeza e a higienização são fundamentais para proporcionar um entorno saudável e livre de agentes causadores de doenças. Cada tipo de ambiente requer técnicas de limpeza específicas, produtos adequados e mão de obra treinada. No setor hospitalar, esse cuidado deve ser redobrado.

Tão importante quanto a limpeza, é a escolha adequada dos EPIs que devem ser utilizados durante a limpeza hospitalar. Luvas de borracha, sejam de látex ou nitrilo com forração, têm espessura grossa para aumentar a proteção e resistência contra os produtos químicos utilizados na higiene hospitalar. Apesar de muito seguras, elas precisam ser higienizadas ao final de cada limpeza, além de ser necessário um local para secagem adequada e frequentemente podem apresentar odor devido a retenção de umidade associada ao suor do usuário.

Pensando nisso, foram lançadas no mercado luvas de espessura intermediária,  descartáveis, fabricadas em nitrilo, com espessura até 3 vezes maior que as luvas de procedimento, proporcionando maior resistência. Essas luvas, além de apresentarem a vantagem de serem descartadas após o uso, eliminando a possibilidade de carregar agentes potencialmente infecciosos de uma área para outra, reduzem o custo com lavagem e secagem das luvas. 

Assim como é muito importante a troca dos panos e soluções dos baldes ao finalizar cada ação de limpeza de uma área ou mobiliário (ambos podem levar à infecção cruzada), também é muito importante trocar ou descartar as luvas utilizadas no processo de higienização, especialmente quando tratam-se de áreas críticas ou semicríticas, onde o controle de infecções deve ser ainda mais rigoroso.

Por este motivo, as luvas descartáveis ganharam força e se estabeleceram-se como uma importante ferramenta para Precauções de Contato, justificadas principalmente pelo controle da contaminação.

www.unesp.br/pgr/pdf/manual-limpeza.pdf

http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/manuais/biosseguranca/manual_biosseguranca-servicos_saude.pdf

https://www.limpeza.com/artigos/entenda-a-importancia-da-limpeza-hospitalar

As luvas Nitrilo Iginite foram desenvolvidas para serem utilizadas em trabalhos onde necessitem de uma luva mais grossa e resistente, como no segmento automotivo, construção civil e jardinagem, além disso, a luva Nitrilo Ignite é uma ótima opção para substituir as luvas de borracha, devido aos inúmeros benefícios que elas apresentam em sua usabilidade comparada às luvas de borrachas.

As luvas de Nitrilo comuns possuem uma espessura menor, por isso, são muito utilizadas na área da saúde, devido a sua flexibilidade e sensibilidade no tato. Suas usabilidades são comuns em atendimentos pré-hospitalares por médicos e enfermeiros, consultórios odontológicos, salões de beleza e estúdios de tatuagem.

As luvas Nitrilo Ignite da Supermax foram lançadas atendendo aos pedidos de nossos clientes, que precisavam de uma luva de Nitrilo com maior espessura e resistência e com a mesma sensibilidade e flexibilidade das outras luvas comuns. Dessa forma ampliamos os segmentos atendidos pelas luvas Supermax, atuando desde consultórios médicos até construções civis.

As luvas Nitrilo ignite já são comercializadas nos Estados Unidos, Canadá, Europa entre outros e atendem aos mais rigorosos padrões de qualidade internacionais. Agora elas chegam ao Brasil com a qualidade insuperável Supermax!

Os recém-nascidos não possuem dentes erupcionados, eles começam a aparecer entre os 3 e 9 meses após o nascimento. Todos os dentes decíduos (“de leite”) surgem até a criança completar 3 anos de idade.

Assim que os dentes começarem a nascer, deve-se escová-los de 2 a 3 vezes ao dia com uma escova dental macia e creme dental compatível com a idade. A escovação deve ser supervisionada para evitar que a criança engula o creme dental.

A recomendação formal da Associação Brasileira de Odontologia, do FDA e da Academia Americana de Odontopediatria atualmente é que as crianças utilizem dentifrício fluoretado desde o nascimento dos primeiros dentes.

O flúor tem a capacidade de interferir com os processos de iniciação e progressão da lesão de cárie, mantendo o equilíbrio mineral dos dentes, além de ser capaz de repor perdas minerais que já ocorreram no tecido dental e de ativar a capacidade remineralizante da saliva. Os estudos com flúor observaram que há uma redução que varia de 25 a 40% na presença de novas lesões de cárie.

Existem ainda no mercado cremes dentais sem flúor, destinados para as crianças na faixa etária de 0 a 3 anos. No entanto, a orientação aos pais é para utilizar creme dental com flúor na formulação. Para evitar qualquer tipo de dúvida de qual pasta utilizar é imprescindível a orientação de um odontopediatra.

Para conferir a proteção necessária, a concentração ideal do flúor no creme dental deve ficar entre 1.100 e 1450ppm. Creme dental com concentração igual ou inferior a 550 ppm não oferece proteção efetiva contra as cáries.

A quantidade de pasta também é muito importante, ela deve ser usada na quantidade conforme ilustrado abaixo, sempre sob a supervisão de um adulto.

Menores de dois anos devem escovar os dentes duas vezes ao dia, manhã e noite, na quantidade de um grão de arroz cru. Após essa idade aumentar gradativamente, até o tamanho de um grão de ervilha.

Se os pais usarem essa quantidade, não ultrapassam 30% da margem de segurança de deglutição de flúor, ou seja, ainda que a criança engula o creme dental, ela não correrá riscos de ter nenhum problema por conta disso.

https://blog.dentalspeed.com/cantinho-da-crianca/por-que-os-dentistas-indicam-dentifricio-nao-fluoretado/

https://revistacrescer.globo.com/Bebes/Saude/noticia/2015/02/associacao-americana-de-pediatria-aprova-uso-de-creme-dental-com-fluor-desde-o-primeiro-dente-do-bebe.html


AS DIFERENÇAS ENTRE AS VACINAS DA REDE PÚBLICA E PRIVADA

Essa é sempre uma grande e comum dúvida que a população tem em relação aos cuidados com a saúde das crianças.

Afinal o que são vacinas?

São substâncias que ao serem introduzidas no organismo  estimulam uma reação do sistema imunológico(sistema de defesa ), desencadeando a produção de anticorpos  que acabam tornando o organismo imune ou mais resistente a determinadas doenças.Com o avanço de pesquisas e desenvolvimento de  novas tecnologias para a produção de vacinas é possível prevenir doenças que em outras épocas matavam ou prejudicavam muitas crianças e adultos .Sem ser vacinada a pessoa fica exposta a doenças que podem causar sérios danos a saúde.

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM) é o órgão responsável pelos Calendários de Vacinação no Brasil. Atualmente temos três calendários :SUS, Sociedade Brasileira de Pediatria e Sociedade Brasileira de Imunizações, todos se baseiam em evidências científicas de estudos mundiais e com os dados dos órgãos públicos.

O Calendário de Vacinação é dinâmico no mundo todo e muda de acordo com a incidência de doenças em cada região.

As vacinas tem um alto custo e por isso entram no calendário vacinal da rede pública quando as doenças oferecem risco à saúde pública, diferente da rede privada, que analisa o indivíduo e não a necessidade coletiva.

Apesar das vacinas oferecidas na  rede pública  apresentarem ótima qualidade e garantirem a imunização,  são diferentes daquelas existentes na rede privada , sendo que as da rede privada  apresentam benefícios  na redução da ocorrência de eventos adversos( reações ) devido a maneira como são processadas.

As vacinas pode ser processadas das seguintes formas :

  1. Agentes atenuados (vivos)
  2. Agentes inativados(mortos)
  3. Conjugadas(partes do agente)

As vacinas de agentes atenuados são as que “podem” oferecer mais reações. Sendo essa uma das diferenças entre rede pública e privada, as vacinas oferecidas pela rede pública é feita com agentes atenuados , enquanto na rede privada com agentes inativados ou conjugados.

Além da forma de apresentação da vacina existem outras diferenças entre rede pública e privada , saiba quais :

DIFTERIA/COQUELUCHE/TÉTANO(TRÍPLICE BACTERIANA)
Na rede pública está disponível a DTPw, que é feita a partir de células inteiras da bactéria; já na rede privada existe a versão DTPa que é acelular, ou seja, não é feita com as células inteiras , e sim com proteínas . É uma vacina mais purificada, só contém o que realmente é necessário para proteção e, por isso, as chances de ocorrerem eventos adversos são menos frequentes e intensas.

HAEMOPHILUS INFLUENZAE TIPO B
Haemophilus influenzae tipo B é uma bactéria que pode causar uma série de doenças infecciosas com complicações graves como pneumonia, otite ( dor de ouvido), epiglotite ( inflamação da epiglote), meningite, inflamação das articulações, entre outros. A vacina contra essa bactéria está disponível tanto na rede pública quanto na rede privada, com a diferença de que na rede privada é oferecida uma dose a mais, garantindo ainda mais a proteção das crianças contra essas patologias tão comuns.

ROTAVÍRUS
O rotavírus se caracteriza por uma forma abrupta de vômito, diarréia e febre alta, que podem causar desidratação grave. Em alguns casos, também há sintomas como falta de apetite, náuseas e dores abdominais. A principal forma de contágio é via fecal-oral, ou seja, por contato pessoa a pessoa através de água, objetos e alimentos contaminados e, mais raramente, por propagação aérea.
A vacina de rotavírus é uma vacina de vírus vivo, oral. Ela pode ser monovalente, que protege apenas contra um sorotipo de rotavírus, mas oferece proteção cruzada contra outro sorotipo e é dada em 2 doses. A vacina rotavírus monovalente é oferecida na rede pública.
A outra opção é a vacina pentavalente, que está presente na rede privada. Ela oferece imunidade contra 5 sorotipos diferentes de rotavírus e é feita na clínica em 3 doses.

PNEUMONIA
As vacinas pneumocócicas conjugadas protegem as crianças das doenças causadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, causadora de doenças como pneumonia, meningite e otite média aguda. A vacina pneumocócica conjugada 10, presente na rede pública, protege contra 10 subtipos de pneumococos. Já a vacina pneumocócica conjugada 13, presente na rede particular, irá proteger contra 13 subtipos de pneumococos.
Existe ainda a opção pneumocócica 23, presente na rede privada, que oferece proteção contra 23 tipos de pneumococos e indicada para idosos, prematuros, crianças com pneumonias de repetição, asmáticos, cardiopatas e síndrome de Down.

INFLUENZA
Na rede pública a vacina influenza , que protege contra a gripe, é oferecida somente até os 5 anos de idade. A Sociedade Brasileira de Imunizações recomenda que todos sejam vacinados anualmente contra a influenza, independente da idade, recomendação essa que se torna possível em redes privadas, onde todos podem ser vacinados sem pertecerem a determinados grupos de risco.

MENINGITE
A vacina meningocócica conjugada C está presente na rede pública, enquanto a versão ACWY só pode ser encontrada na rede privada. Ambas previnem meningites, com a diferença que a meningocócica conjugada C protege apenas contra o tipo C e a versão ACWY protege contra esses quatro tipos. A vacina meningocócica conjugada ACWY e a vacina meningocócica B só estão disponíveis na rede privada de clínicas de vacinação e a importância destas vacinas reside no fato de que muitos países, inclusive o nosso, vêm observando aumento na proporção de casos de doença meningocócica pelos sorotipos B e W. Além disso, em muitos países o risco de infecção pelos tipos B, A, W e Y é maior que no Brasil, de modo que esta vacina se torna a melhor opção para viajantes.

HEPATITE A
A rede pública vacina as crianças com 01 ano de idade; contudo, a rede privada segue a recomendação da Sociedade Brasileira de Imunizações e, seis meses após esta primeira dose, aplica-se uma segunda dose. Uma única dose desta vacina garante proteção até os 10 anos de idade, mas não há certeza quanto a vida adulta.

HPV
A vacina quadrivalente contra o HPV está disponível gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para meninas de 9 a 13 anos e para meninas vivendo com HIV de 9 a 26 anos. Na rede privada, a vacina quadrivalente está disponível para meninas e mulheres de 9 a 45 anos e para meninos e homens de 9 a 26 anos. Além delas, a rede privada conta com a vacina bivalente, licenciada para todas as meninas e mulheres a partir de 9 anos.

VARICELA
A vacina varicela irá proteger as crianças contra a catapora. Contudo, a rede pública oferece apenas uma dose dela, o que não é suficiente para prevenir a doença, apenas evita que a pessoa desenvolva versões mais graves. Na rede privada são oferecidas 2 doses, sendo que a segunda dose irá de fato proteger contra a doença.

O Calendário de Vacinação Nacional oferecido pelo SUS evoluiu nos últimos anos ,mas a rede privada apresenta  vantagens em vários aspectos.Ambas são seguras e protegem  a saúde da criança garantindo uma infância saudável.

Referências:

http://clinicamedicaclimed.com.br/

https://www.analumasi.com.br

https://www.sobrematernidade.com.br/

http://filhinhosdamamae.com.br/