Blog

Biossegurança e biosseguridade: muito além da prevenção

Com a pandemia de coronavírus, os termos biossegurança e biosseguridade começaram a ser mais utilizados e aplicados em diversas situações. Contudo, ao contrário do que muitas pessoas acreditam e da confusão feita entre as duas áreas de conhecimento, elas atuam em contextos e de formas distintas, mesmo que possuam objetivos similares.

Além disso, não se tratam apenas de cuidados simples como os de prevenção ao Covid-19, mas sim de normas e procedimentos da área da saúde, ciências e segurança do trabalho.

Biosseguridade e biossegurança

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a biossegurança é toda a “condição de segurança alcançada por um conjunto de ações destinadas a prevenir, controlar, reduzir ou eliminar riscos inerentes às atividades que possam comprometer a saúde humana, animal e o meio ambiente.”

Já a biosseguridade possui três definições possíveis, definidas aqui segundo o cientista e bioquímico Hernan Chaimovich: 1) uma forma de aumentar medidas nacionais contra armas biológicas; 2) uma forma de aumentar e fortalecer os esforços nacionais e internacionais para investigar se há, ou não, alguma doença que possa alterar o sistema social; e 3) uma medida para aumentar a capacidade internacional de responder, investigar e mitigar os efeitos do uso terrorista de toxinas e armas biológicas.

No Brasil, a biosseguridade foca na segunda definição, que também é muito relacionada às normas e procedimentos de segurança da saúde animal, evitando assim problemas de saúde pública. Enquanto isso, a biossegurança relaciona-se com as normas e procedimentos especificamente para a saúde humana.

Os setores que a biossegurança e biosseguridade impactam

A biossegurança é aplicada em unidades de saúde através de normas e procedimentos de arquitetura, dispositivos e materiais, gerenciamento, preparação na coleta e transporte de resíduos, modelos de formulários e segurança alimentar e segurança profissional nas atividades exercidas por cirurgiões; em laboratórios, através de normas e procedimentos de diagnóstico e pesquisa, primeiros-socorros e segurança, parasitologia, trabalho com HIV e modelo de manuais; na manipulação de animais através de normas e procedimentos para animais de laboratórios e animais modificados geneticamente; em radiações através de normas e procedimentos de física nuclear, medicina, blindagem e radioproteção; e, por último, em infecções virais e vacinas através de normas e procedimentos na abordagem de tratamentos de infecções virais como HIV e HTLV, procedimentos de registro e possibilidades de imunoprofilaxia / vacinoterapia e no diagnóstico e tratamento de infecções virais como viroses hepatotrópicas / hepatites.

Já a biosseguridade no Brasil é aplicada na produção de animais, principalmente na indústria avícola e suinícola, através de normas e procedimentos técnicos sanitários, de arquitetura, controle de enfermidades, programas de imunoprofilaxia, controle de localização, visitas e vestimentas, períodos de quarentena de animais, controle de pestes, qualidade da alimentação e água e descarte de resíduos e animais mortos. Ao contrário da biossegurança, as normas e procedimentos da biosseguridade são mais adaptáveis e flexíveis em cada caso.

Acompanhe mais da Supermax Brasil em nossas redes sociais: Supermax Brasil no Facebook // @luvassupermax no Instagram

Fontes:

Biosseguridade – Hernan Chaimovich
Biossegurança, o que é? – Portal Fiocruz
Manual de Biossegurança – Fiocruz
Biosseguridade – Ourofino Saúde